Arritmologia

A arritmologia é um ramo da cardiologia especializada no diagnóstico da arritmia cardíaca, prevenindo-a, e também fornecendo tratamentos médicos para evitar que afetem a vida da pessoa ou do paciente em tratamento.

O funcionamento adequado do coração permite que o sangue chegue ao cérebro, membros, outros órgãos e extremidades, possibilitando à pessoa realizar várias atividades.

Se, por algum motivo, o batimento cardíaco não apresenta um ritmo definido ou está batendo mais lento (bradicardia) ou mais rápido (taquicardia) do que deveria, a condição é conhecida como arritmia.

Na maioria dos casos, um ritmo cardíaco anormal não apresenta sintomas óbvios e às vezes se manifesta como sudorese constante, palidez, tontura, palpitações e desmaios. Em alguns casos mais graves, a arritmia pode até representar uma parada cardíaca.

Para alcançar um diagnóstico altamente preciso, o Arritmologista utiliza diversos exames como o holter (aparelho medidor de pressão arterial portátil e de batimentos cardíacos), que é preso ao seu corpo durante 24 horas, realizando medições e aferimentos a cada hora. Existem também exames como o eletrocardiograma e a ultrassonografia do coração, que possibilitam uma visualização mais precisa dos batimentos cardíacos. O Arritmologista, inclusive, tem como saber se as palpitações vem da cabeça ou do coração, se é arritmia ou ansiedade.

A arritmologia pode indicar a melhor forma de tratar as condições do paciente.

A maior parte das arritmias pode ser tratada com eficácia. O tratamento pode incluir o uso de medicamentos, cirurgia, implantação de marca-passo, CDI (cardiodefibrilador) e ressincronizador, sendo este último utilizado no tratamento da insuficiência cardíaca. Os medicamentos usados ​​para tratar as palpitações incluem bloqueadores beta ou antiarrítmicos como a procainamida. No entanto, este último grupo pode ter efeitos colaterais muito adversos, especialmente quando tomado por um longo período de tempo.

Os marca-passos são freqüentemente usados ​​para ritmos cardíacos lentos. Pessoas com batimento cardíaco irregular, geralmente são tratadas com anticoagulantes para reduzir o risco de complicações. Pessoas com arritmias graves podem receber tratamento urgente de cardioversão ou desfibrilação.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *