esses dois suplementos podem ajudar muito na pandemia

O Própolis verde e a Ashwagandha são dois ativos testados, em estudos randomizados, com resultados positivos contra o inimigo do momento.

Infelizmente não se pode falar de doses aqui, em rede social, mas no MIB ( link na bio) eu tenho 3 aulas falando absolutamente tudo sobre esses ativos e como devem ser usados.

E lembre sempre: Controle o que pode ser controlado, cuide da sua imunidade!

Neste vídeo eu falo sobre um estudo feito na Bahia, que pegou pacientes internados com Covid, dividiu esses pacientes em dois grupos, um grupo eles deram um tratamento que era usualmente dado no hospital, e o outro grupo eles deram o mesmo tratamento adicionando o própolis verde, com concentração no extrato de 40%. E se viu uma diferença no tempo de internação. O grupo de pacientes que tomaram o própolis verde, saíam do hospital, em média, 6 dias antes.

E, quem tomou uma dose maior, cerca de 800 miligramas, além de sair antes do hospital, teve menor elevação de creatinina, ou seja, parece que os rins sofreram menos.

E lá na Índia tem um estudo. Aqui, a gente não conseguiu mostrar que entre os dois grupos houve diferença na mortalidade, mas lá na Índia, eles conseguiram comprovar que a Ashwagandha foi capaz de reduzir a mortalidade.

Aí outros falam… “Beleza, será que esses estudos foram bem conduzidos?”

Mas aí eu digo, poxa, é Própolis verde, é Ashwagandha, não é qualquer “chumbinho”.

A gente está falando de produtos que são reconhecidos e bastante utilizados, raríssimos efeitos colaterais, tem milhares de anos de uso…

          Captura de imagem/instagram: @drguilipech

 

Eu sou o Dr. Guili Pech, sou formado em Medicina, e possuo especialização em Cardiologia e Arritmologia. Sou favorável ao fortalecimento da saúde e da imunidade através de hábitos saudáveis, de uma boa alimentação e também da suplementação. Sou especialista no combate ao Covid-19, e defensor do tratamento precoce para o combate do coronavírus.

👉🏻 Compartilhe com seus amigos.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *