Fadiga crônica: investigação e suplementação

Fala pessoal!! Nesse vídeo, eu abordo sobre a fadiga e cansaço que tem sido recorrente na vida dos brasileiros.
Olá, eu sou o Dr. Guili Pech, sou especialista no combate ao Covid-19, e defensor do tratamento precoce para o combate desse terrível vírus. Sou formado em Medicina, e possuo especialização em Cardiologia e Arritmologia.

Eu quero conversar com vocês a respeito de uma queixa que é muito frequente aqui em meu consultório, que é a queixa de cansaço, de fadiga.

Muita gente se queixando de indisposição, de falta de energia para fazer as suas atividades quotidianas. Não só no contexto do Covid ou do pós-Covid, mas sim no trabalho, em casa. Muita gente com essa queixa de cansaço e fadiga.

Fadiga crônica: investigação e suplementação

E como é que eu investigo essa queixa?

E aí que está um bom exemplo da medicina integrativa, que é exatamente a integração entre a medicina mais tradicional e aspectos também mais funcionais da medicina. Então, por exemplo, obviamente, quando eu vou investigar uma queixa de fadiga, de cansaço, eu preciso olhar o pulmão, o coração, ao escutar pedir alguns exames como ecocardiograma, por exemplo, que fazem parte de uma medicina mais tradicional.

Obviamente, eu preciso saber se os meus hormônios da tireóide estão adequados, se estão com as taxas adequadas. Tudo isso faz parte de uma medicina mais tradicional, e obviamente a gente tem que valorizar, entre esses e vários outros diagnósticos. Mas também vale a pena dar uma olhada nessa parte mais funcional, por exemplo, a gente sabe que o Selênio é importante na conversão do T4 para o T3, ou seja, é super-importante para que o hormônio da tireóide fique ativo.

Será que estou com alguma deficiência?

Será que está faltando um pouquinho de selênio?
Como é que está a saúde das minhas mitocôndrias?
Será que as minhas mitocôndrias estão funcionando bem?
Será que vale a pena eu fazer um booster mitocondrial, eu dar mais energia para as mitocondrias?
Poder usar um magnésio, por exemplo, será que eu preciso modular o cortisol?
Será que eu preciso melhorar a capacidade de formação dos meus neurotransmissores? E aí, o meu complexo-B, a minha vitamina B1, vitamina B5, B9, B12, são super-importantes.

Conclusão:

Então, são só exemplos de como eu devo investigar a fadiga e o cansaço num contexto integrativo mesmo, onde eu faço um encontro entre a medicina mais tradicional e a medicina mais funcional. Elas não são inimigas, elas podem ser usadas em conjunto, e é isso que eu tento trazer para a minha prática clínica.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *