Vitamina D no Pós COVID e Pós Picada. Manejo prático - Parte 2

Continuando a falar sobre esse tema tão importante, a Vitamina D e pós picada, manejo prático.A Vitamina D, como eu falei, é boa, pra depressão é boa, pra memória é boa, pra imunidade, é boa pra uma série de coisas, uma série de coisas. Mas o principal fator dela onde é o principal benefício dela onde ela é mais estudada é no metabolismo do cálcio e do fósforo ou seja, a gente sabe que vitamina D mais alta faz com que eu absorva mais cálcio na alimentação, do intestino, é por isso que eu não gosto muito, e nem acho que deva ser feito uma reposição de vitamina D com cálcio, a não ser que o paciente tenha osteoporose, porque a própria vitamina D já puxa o cálcio.

Então veja bem, se a sua vitamina D é cinquenta e o cálcio está alto, a sua vitamina D tem que ser um pouco mais baixa do que cinquenta. Agora, se a sua vitamina D está oitenta e o cálcio está normal e talvez eu possa subir mais ainda.

Então não existe tá? Vitamina D, reposição de vitamina D sem acompanhamento de cálcio e de um outro hormônio de PTH.

O que eu nunca respondo aqui que a vitamina D boa é entre cinquenta e cem. A maior parte dos meus pacientes acaba ficando entre cinquenta e oitenta. Tá?

Em alguns níveis mais altos e outra coisa tem gente que vai discordar de mim e vai falar cem, cento e vinte e não estão errados não tá? Não estão errados, mas eu entendo ali pelo que eu já estudei que cinquenta, oitenta na maioria dos casos é algo seguro e que tem benefícios. Agora, a gente deve individualizar, como é que eu sei se a minha vitamina D boa é cinquenta ou oitenta ou cem, por exemplo?

Eu tenho que acompanhar principalmente dois parâmetros, né? No exame de sangue, que é o cálcio e o PTH paratomônio. Então, o cálcio, por quê? Porque como eu falei, vitamina D aumenta a absorção de cálcio. Então eu absorvo mais cálcio. Então, se o cálcio subir demais né? Eu devo diminuir a minha vitamina D. Isso é individual. Às vezes o cálcio sobe muito quando a vitamina D tá setenta, às vezes quando tá sessenta, depende da ingestão de cálcio. Então, é superimportante que, quando vocês tomarem, né? A vitamina D que se faça de vez em quando uma dosagem do cálcio ônico ou do cálcio total com a albumina enfim não não dá não dá pra não fazer pelo menos de vez em quando outra coisa o PTH paratomônio que é o o fica são glândulas que ficam aqui do lado da nossa tireoide, do nosso pescoço, o cálcio é inibe o PTH inibe o paratomônio.

O paratomano tem a função de tirar cálcio dos ossos e jogar pro sangue. Então, se eu estou absorvendo muito cálcio, o meu sangue vai ter bastante cálcio. Então, o PTH vai ficar calminho. Ele vai ser inibido.

O problema é que o PTH também é responsável pelo metabolismo do fósforo. E aí, se eu inibo o PTH, eu começo a ter problemas com o fósforo.

Então, como é que eu faço na prática? Eu deixo ali eu uso vitamina D numa dose o suficiente pra deixar essa vitamina D ali.

O mais alto possível desde que o meu cálcio esteja normal e o meu PTH, vamos dizer assim, esteja no limite, calma que eu vou explicar, tá? No limite é superior do primeiro quartil da normalidade. Calma que esse palavrão vai ser explicado. Situação hipotética, hipotética, tá? Então o PTH no sangue é hipotético isso. Porque cada laboratório dá um valor, mas pra ficar fácil a conta aqui.

Imagine que o valor de P T H normal é entre tá ali num laboratório específico? Mais uma vez é uma situação hipotética, não é isso na realidade mas é pra vocês entenderem melhor.

Imagine que PTH normal seja de dez a cinquenta.

Então, o primeiro quartil da normalidade é dez a vinte. O segundo quartil da normalidade, vinte e trinta. O terceiro quartil da normalidade trinta e quarenta e o quarto quartil da normalidade quarenta e cinquenta. Então, lembra que eu falei olha o PTH eu tento deixar ali no limite superior do primeiro quartil né? Então em torno de vinte. Nesse caso específico.

Ou seja, eu evito uma inibição do PTH e evito problemas no metabolismo do fósforo também, tá? Então, entendam que há toda uma ciência para a reposição de vitamina D e que não há valores normais. Quando a gente fala, né? Olha, até cinco mil unidades por dia é relativamente seguro pela literatura, É porque exatamente é esse valor não costuma fazer com que o cálcio suba e o PTH fique inibido. Existem muitas pessoas né? Defensoras de valores mais altos e pra algumas situações sim é preciso ser feito. Eu entendo que na esclerose múltipla, por exemplo, vale muito a pena jogar o o a vitamina D lá em cima, mas com os cuidados necessários né? Que são esses medir cálcio e etcétera. Então, vejam, são situações clínicas em que a gente precisa ter um pouco de ou não. Tá?

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *